Hérnia
diafragmática

Hérnia diafragmática

O diafragma é um musculo que separa o tórax (coração e pulmões) do abdômen (estômago, fígado, intestino e outras vísceras). Além de separar as duas cavidades o diafragma é também o músculo mais importante envolvido nos movimentos respiratórios.

A hérnia de diafragma ou diafragmática é um problema que ocorre com o bebê ainda na barriga da mãe. É um defeito de nascença que cria um buraco no diafragma. Esta má formação é normal, mas este buraco normalmente se fecha no terceiro mês de gestação. Isto acontece em cerca de 1 em cada 2.500 gestações.

Hérnia

Quando o fechamento natural não ocorre, como consequência, alguns dos órgãos internos da criança começam a se mover para dentro da cavidade abdominal impedindo o crescimento dos pulmões e criando uma série de problemas.

Um dos sintomas mais típicos de hérnia diafragmática é a dificuldade de respirar da criança logo após o nascimento. Respiração rápida ou fora de ritmo são sintomas visíveis. O peito até se move como se estivesse em processo de inspiração e expiração de oxigênio, mas a respiração real não corresponde aos movimentos do tórax.

A cor da pele também pode mudar devido à incapacidade do bebê receber oxigênio suficiente. A criança pode ficar com uma cor avermelhada que pode mudar gradualmente para um azul ou roxo. Conforme o quadro se agrava, a cor vai ficando mais profunda e se espalha para todo o corpo.

Outro sintoma é o desenvolvimento anormal da caixa torácica e no peito.  Provavelmente, um dos lados vai parecer maior do que o outro.  Além disso, o centro do peito pode parecer colapso ou ter uma aparência côncava. Com a mão no peito da criança, é possível sentir apenas um lado enchendo de ar.

Uma operação de emergência imediatamente depois que a criança tenha nascido é recomendada para tratar a doença, porém, é possível fazer a cirurgia ainda na barriga da mãe.

Hérnia

Como os pulmões não precisam funcionar enquanto o bebê está no útero, um recém-nascido aparentemente perfeito pode não sobreviver porque o pulmão não cresce e não realiza as trocas gasosas após o parto.

Tratamento

A cirurgia realizada intrauterina permite o desenvolvimento adequado dos pulmões do bebê. Através da introdução de uma fina agulha, os médicos alcançam a traqueia do feto e a bloqueiam, o líquido produzido pelos pulmões, normalmente é despejado pela boca, fica contido, estimulando o crescimento deles. Com a expansão dos pulmões, os outros órgãos são empurrados para os seus devidos lugares, e assim quando a criança nasce a traqueia é desbloqueada.

Uma pesquisa realizada pelo Centro de Tratamento Fetal da Universidade da Califórnia concluiu que 73% das cirurgias intrauterinas feitas com crianças que portavam hérnia de diafragma foram realizadas com sucesso.
No caso das cirurgias pós-parto, elas podem ser por meio de videolaparoscopia do tórax, cirurgia do tórax minimamente invasiva ou a torácica convencional.

Médicos

Agende já a sua consulta