Estenose de
Traqueia

Estenose de Traqueia

A estenose é a obstrução (fechamento) da região interna da traqueia. Pode ser benigna quando ocorre devido à formação de um processo cicatricial para dentro da traqueia e que evolui para o fechamento (oclusão) parcial ou total de sua luz (orifício interno), impedindo que o ar consiga passar através do local. Uma estenose também pode ocorrer em função de um tumor benigno ou maligno (câncer).

A estenose de traqueia ocorre, geralmente, após a pessoa ter sido intubada. Por exemplo, quando alguém, por algum motivo (pneumonia grave, insuficiência respiratória, trauma automobilístico, AVC, inconsciência e até durante cirurgias com anestesia geral), precisa ser colocada em ventilação artificial (através de máquinas).

Estenose De Traqueia

“Nesses casos haverá necessidade de se colocar um tubo na via aérea para ser conectado a máquinas que farão a respiração. A intubação pode ser feita através do nariz, boca ou na garganta (traqueostomia)”, explica o cirurgião torácico Ricardo Lucatto Baida, que complementa: “Esses tubos posicionados dentro da traqueia muitas vezes geram um processo cicatricial que evolui para uma estenose”.

Baida observa que, por causa da estenose de traqueia, o paciente sente dificuldade de puxar o ar, apresenta um estridor ou chiado na garganta, pode ter tosse e não consegue expelir secreções. “Esses sintomas vão piorando dia a dia e a pessoa sente cada vez mais dificuldade em respirar”, comenta.

Estenose Traqueal

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através do exame físico e é confirmado com a Endoscopia Respiratória. Outro exame que pode auxiliar no diagnóstico é a tomografia helicoidal.

Já o tratamento da estenose de traqueia, de acordo com o cirurgião torácico, estará diretamente associado ao quadro clínico do paciente. “Na urgência, a pessoa está em franca insuficiência respiratória (falta de ar aguda). O tratamento preferencial é fazer dilatação da traqueia com endoscopia (broncoscopia) rígida com um médico experiente (geralmente cirurgião do tórax ou endoscopista respiratório)”, explica. “Caso isso não seja possível, deve ser feita a traqueostomia urgentemente”.

Com a pessoa fora da urgência, o procedimento é o de dilatação. “Mas é muito raro (abaixo de 3%) que o tratamento através de dilatações a cada 15 dias possa resolver definitivamente a estenose, pois já existe destruição da parede da traqueia”, ressalta o médico.

Também pode ser feita uma tentativa do uso de cautério e/ou laser. “Mas esse tipo de tratamento é possível apenas na minoria (menos de 10%) das estenoses, uma vez que esta intervenção depende de algumas características muito específicas”, afirma.

Segundo Baida, a intervenção que atinge os melhores resultados é a cirurgia. “O que se faz é a ressecção (retirada) do tecido estenosado. Para esse procedimento, existem muitas técnicas e táticas complexas, mas que possibilitam a resolução de 97 a 100% das estenoses de traqueia”, finaliza.

Estenose Traqueal

Agende já a sua consulta