Câncer de
pulmão

Câncer de pulmão

O câncer de pulmão era uma doença rara no início do século passado. O tempo passou e a situação se inverteu. Atualmente, é a principal causa de morte por câncer entre homens na América Latina, na Ásia e África. Segundo estudos, o índice de câncer de pulmão aumenta cerca de 2% ao ano em nível mundial.

A maioria dos casos de câncer de pulmão se apresenta entre os 50 e 70 anos. Mais homens que mulheres desenvolvem a doença, mas o número de casos em mulheres está aumentando, enquanto que o número de casos em homens está caindo.

O tabagismo é o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pulmão. Ele é responsável por 90% dos casos desse tumor. “O risco de morte por câncer de pulmão é 22 vezes maior entre os fumantes do que entre os não fumantes”, alerta o cirurgião torácico Ricardo Lucatto Baida.

Existem muitos sintomas de câncer de pulmão. O médico explica que, em algumas ocasiões, infelizmente, os sintomas poderão se tornar óbvios apenas quando a doença estiver bem avançada.

Foto Câncer

Segundo Baida, os sinais e sintomas de câncer de pulmão podem incluir: tosse persistente ou mudança na tosse usual do fumante; encurtamento da respiração; escarro com sangue; rouquidão; dor torácica persistente ou aguda quando o indivíduo respira profundamente; e pneumonias de repetição.

O surgimento de algum sintoma ou sinal de doença respiratória poderá levar o paciente a procurar um médico clínico-geral ou especialista. Esse poderá dar início a uma investigação que, usualmente, inclui uma radiografia do tórax. A partir disso, o médico poderá detectar uma lesão suspeita. Uma tomografia computadorizada ou ressonância magnética do tórax poderá detalhar mais essa lesão.

Nesse momento, o exame cito-patológico do escarro poderá ser solicitado, visto que é um exame simples que poderá confirmar a presença do câncer de pulmão. Contudo, a ausência de células malignas no escarro certamente não exclui a doença.

Conforme o especialista, em alguns casos, a abertura cirúrgica do tórax (toracotomia) é necessária para a confirmação do câncer de pulmão.

Os tumores malignos do pulmão podem ser tratados com cirurgia, quimioterapia ou radioterapia. Ou, então, essas modalidades terapêuticas podem ser combinadas.

Foto Câncer
Foto Câncer

Alternativa é a terapia fotodinâmica, em que medicações são injetadas no corpo e, posteriormente, são ativadas com o uso do laser. “O médico decidirá o tratamento de acordo com o tipo celular do tumor, seu estágio e com as condições do paciente”, explica Baida.

Apesar dos avanços tecnológicos alcançados nos últimos anos no diagnóstico e tratamento do câncer de pulmão, a mortalidade em cinco anos dos pacientes varia de 87% a 90%, e a sobrevivência em cinco anos se mantém em torno dos 15%.

O médico ressalta que a maneira mais eficaz de se prevenir o câncer de pulmão é parar de fumar. “Uma pessoa que nunca fumou poderá, em algum momento da vida, desenvolver um tumor maligno do pulmão. Entretanto, esta situação é bem menos frequente”.

Raio-X Tórax

Agende já a sua consulta