Aspiração de
corpo estranho

Aspiração de corpo estranho

Quem nunca passou um susto com o filho que colocou algo na boca e engasgou. Pois é, isso é mais normal do que parece e requer atenção redobrada dos pais com a chamada aspiração de corpo estranho (ACE).

Corpo estranho é considerado qualquer objeto ou substância que inadvertidamente penetra o corpo ou suas cavidades. Pode ser ingerido ou colocado pela criança nas narinas e ouvidos, mas apresenta um risco maior quando é aspirado para o pulmão.

Corpo Estranho

O cirurgião torácico César Zuccoli ensina que qualquer material pode se tornar um corpo estranho no sistema respiratório, e a maior suspeita de que o acidente ocorreu é exatamente a situação de engasgo. “É muito comum quando a criança está comendo ou quando está com um objeto na boca, habitualmente peças pequenas de brinquedos”.

Ele explica que no Brasil, milho, feijão e amendoim são os grãos mais comumente aspirados na faixa etária pediátrica. Por outro lado, o material mais relacionado à morte imediata por asfixia, segundo ele, é o sintético, como balões de borracha, estruturas esféricas, sólidas ou não, como bola de vidro e brinquedos.

Segundo pesquisas e estudos científicos, a aspiração de corpo estranho ocorre mais frequentemente com as crianças do sexo masculino, o que reflete uma natureza mais impulsiva e aventureira nos meninos. Predomina na faixa etária pediátrica entre 1 e 3 anos de idade, com mais de 50% das aspirações ocorrendo em crianças menores de 4 anos e mais de 94% antes dos sete anos.

“É na idade até três anos que a criança não controla a mastigação e a deglutição de alimentos, pois não possui os dentes, molares, estrutura importante na trituração de alimentos sólidos”, observa Zuccoli.

Quando a aspiração do corpo estranho é parcial, a criança pode tossir e esboçar sons. Nesta situação, conforme orientação do médico, o melhor procedimento é o encaminhamento a um serviço de saúde, para o tratamento definitivo.

Corpo Estanho
Corpo Estanho

Quando a aspiração é total, a criança não consegue esboçar qualquer som, está com asfixia, falta de ar importante e até com os lábios arroxeados. Nesta situação, deve-se proceder da seguinte maneira, segundo César Zuccoli:

Maiores de um ano – manobra de Heimlich, que consiste em compressões abaixo das costelas, com sentido para cima, abraçando a criança por trás, até que o corpo estranho seja deslocado da via aérea para a boca e expelido.

Menores de um ano – 5 percussões com a mão na região das costas, a criança com a cabeça virada para baixo, seguida de 5 compressões na frente, até que o corpo estranho seja expelido ou a criança torne-se responsiva e reaja.

Se você conseguir visualizar o CE na boca, retire-o com cuidado, mas não tente ir às cegas com o dedo na boca, pois pode provocar lesões na região ou empurrar o corpo estranho para regiões mais baixas, e piorar o quadro de obstrução.

Broncoscopia

Quem nunca passou um susto com o filho que colocou algo na boca e engasgou. Pois é, isso é mais normal do que parece e requer atenção redobrada dos pais com a chamada aspiração de corpo estranho (ACE).

Corpo estranho é considerado qualquer objeto ou substância que inadvertidamente penetra o corpo ou suas cavidades. Pode ser ingerido ou colocado pela criança nas narinas e ouvidos, mas apresenta um risco maior quando é aspirado para o pulmão.

Corpo Estranho

Agende já a sua consulta